Perfil do Artista
Antonio Vitor
ano: 1942-2011
Filho de lavradores, Antonio Vitor nasceu em São José do Rio Pardo, no interior paulista, e veio com a família para São Paulo com um ano de idade, para o bairro Cambuci. Aos cinco anos, mudou para outro bairro paulistano, Guaianazes, onde viveu por mais de três décadas. Morou ainda um período no Brooklin, antes de se instalar em 1987 na periferia de Diadema, onde reside até hoje em sua casa-ateliê. Ele vive com a mulher Mônica Lencioni, escultora, e com o único filho, José Vitor, designer gráfico. Em determinados períodos, para garantir a subsistência, ele já foi publicitário, carpinteiro, marceneiro, serralheiro e professor. O artista, que gosta “do traço e da cor” desde criança, deu início à carreira na área de artes plásticas em 1965 com a participação em salões de arte. Realizou a primeira exposição individual em 1972, na galeria paulistana Paulo Prado. “Foi a época em que me inseri no mercado de arte e comecei a comercializar minhas obras, a me sustentar com a arte”, diz. Antonio Vitor acredita que para um artista poder “voar melhor na imaginação” é necessário que ele parta de uma base da qual tenha amplo conhecimento. Ele concretiza isso na produção plástica que desenvolve, na qual duas temáticas sobressaem: os registros da periferia e os de figura humana (sobretudo nus femininos, nos quais utiliza modelo vivo para a criação). Beirando os 40 anos de carreira artística, o pintor e desenhista aproveita os dias para pintar e as noites para desenhar. “Não dá para pintar à noite, porque com a luz artificial a cor da pintura não corresponde à realidade”, explica. Ele tem a pintura e o desenho como práticas diárias há décadas. Além de tintas, pincéis, telas e papéis, Antonio Vitor também dedica seu tempo a outra atividade artística: é letrista e compositor da banda Poetas Sem Nome, da qual seu filho é o tecladista.
continuar lendo